Lonely in London

Paisagens Sonoras
Lonely in London
Paisagens SonorasLonely in London

 

 

Em 2010, enquanto fazia um curso de Radio Features (documentários radiofônicos) na BBC Accademy, em Londres, fui passear pela cidade durante algumas semanas com o equipamento de gravação possante da Rádio. Lentes de aumento para meus ouvidos.

Cidade sonora, colorida, calada e cinza. Cidade sotaque. Ouvindo a música que havia em cada um que passava, me transportava para muitas partes do mundo. Estava na África, na China, Rússia,  Tailândia. Ninguém para dizer Hello. Pensando no Caetano Veloso e seu casaco de pele, estava no Brasil. Por onde andam os ingleses, when my eyes go looking for flying saucers in the sky?

Comecei ouvindo, e gravando, as rodinhas das malas na estação, o som disciplina da Troca da Guarda, da loja de relógios e do Big Ben. E o grafite, subversivo, como as crianças que brincavam com a água comportada do Green Park.  Depois, aumentei a profundidade da lente, e descobri que eram muitos os lonely in London, como eu, e a canção de exílio do baiano estava na língua da mãe croata, da garçonete chinesa, o homem do tempo africano, e em mim. Em mim.